sábado, 31 de janeiro de 2009

Loucura?

Fui acordada pela Saudade.
Não me chamou com carinho de mãe, mas em rompante, em disparo de bala mortal. Uma saudade, aos meus olhos internos, doía, profunda, incompreensível. Meu lado mulher ficou triste, verteu lágrima. Mas meu lado menina - poeta compreendeu, absorveu e transformou em um sentimento gostoso, infinito, leve. Era um saudade aberta, sem nome ou sobrenome, errante, e por isso bela, por isso, ao final, reconfortante.
Lembrei do texto de ontem, sobre o Amor. E de coisas que falei, com olhos molhados e brilhantes, ao meu filho, uma fala minha, para mim, feito bumerangue. Sinto um prazer infinito quando faço por alguém (piegas?), mais do que a mim, gestos ou pensamentos. Sinto um deleite enorme, feito um gozo que não me cabe no peito, quando envolvo com esse Amor infinito que tenho as pessoas ao meu redor, íntimas ou não. Como se tecesse uma rede de conforto e nela deitasse ao final da tarde, e nela desfrutasse de um sentimento fresco, suave, ares de montanha. E de um abraço intenso, imenso, envolvente, do que teço e me volta, em forma de uma paz intensa, contínua, inundante. E aí não dá para esquecer Ferreira Gullar , o poeta das metades, quando diz " e que a minha loucura seja perdoada...porque metade de mim é amor, e a outra metade...também".
Foto de um novo amigo, achado nas páginas da internet: Rubem Gandres, grande Rubem.

7 comentários:

  1. ...porque metade de mim ama tuas palavras , sempre tão intensas...e a outra metade ama o calor que emana de teus olhos e de teu jeito de ser...Linda!

    ResponderExcluir
  2. Bom saber que desperto esse lado poeta nos comentários aqui postados. Só por esse lado já vale a pena continuar escrevendo...

    ResponderExcluir
  3. É...está cada vez mais dificil postar aqui... as pessoas tem se superado para agradá -la! Só isso já mostra teu valor e tua força, não achas? Mais que terapia, como dizes, isso aqui é um espaço que reflete muito do Amor que dizes fomentar...e tantos outros (rss)! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Também acho que o Amor, seja qual tipo for, sempre é bom , mais que alimentar, fomentar, reproduzir, clonar, replicar...quem sabe inunda um pouco o mundo de cada um e o torno melhor?

    ResponderExcluir
  5. Amar é sofrer!
    Mas não amar é sofrer mais ainda...
    Bjinz

    Rubem

    ResponderExcluir
  6. Seja benvindo, meu amigo! Você, seus textos inpiradores e suas fotos mágicas...Bj

    ResponderExcluir
  7. Maria Luiza Brufattodomingo, 01 fevereiro, 2009

    O texto " LOUCURA?" está o máximo !

    ResponderExcluir