terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Risoterapia


Hoje vou escrever mais porque estou necessitada.
Talvez eu chame de "palavraterapia". Uma forma, digamos, fácil e criativa, de colocar coisas para fora, de exorcizar pensamentos ruins que não levam a nada. ..
Para meus amigos, tão poucos, eu sempre falo em terapias novas como "filhoterapia", "amigoterapia", "guloterapia" (ah, ta, você nunca se tratou com um pote de sorvete , sei...) , e muitas outras do gênero. Mas acho que estava mesmo precisando da melhor de todas: risoterapia. E essa tem que ter a companhia certa - seja ela um filme, um livro (ri muito lendo Comer, Rezar, Amar...), um filho, um amigo ou um amor (quem dera os dois juntos...) . Uma gargalhada solta - ou melhor, várias - infantil, sem controle.
E começar assim, sem aviso. E terminar com todo mundo muito satisfeito, muito relaxado, mas com aquele jeitinho de quero mais. E basta um olhar, ou até relembrar o momento, e lá vem ela de novo, gratuita, generosa! Deliciosamente generosa!
Hum, isso me faz lembrar que tem outras "terapias" tão boas, mais, digamos, apimentadas, dessas que fazem a gente se sentir mais completa, mais bonita , mesmo que seja só por uns instantes...mas essa fica para a próxima!

2 comentários:

  1. Voce é uma inspiração!

    ResponderExcluir
  2. Voce é uma terapia! e saiba que já és completa, bonita, e muito mais que isso!

    ResponderExcluir