segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Ensaio sobre a bondade

O texto de hoje deveria começar com uma frase do tipo "querido diário, hoje acordei feliz...".
E é interessante isso, pois vejo que estas páginas viraram um alívio, um diário de emoções e paixões, repleto de vivências e trocas. Vejo-me hoje mais ainda apaixonada pelas pessoas que "amo" ( e ai o sentido é super amplo mesmo...), todas, mesmo aquelas que não vejo com frequência, mas que sempre me animam a estar bem, a continuar; mesmo aquelas do passado longínquo que ficaram guardadas na gaveta das paixões, envoltas por papéis perfumados.
São-me caras, únicas, insubstituíveis.
E há uma nova "categoria" poderia dizer, efeito dos virtuais tempos modernos: aquelas que nem conheço pessoalmente, mas que trocamos palavras de incentivo e até confidências, que me dão conforto e alento, que dizem ( ou escrevem?) coisas que , aceito, mereço escutar. São meus amigos, sim, posso dizer, já que me alegram, me trazem luz, me iluminam com suas palavras e sentimentos de "esteja bem", de "você é especial". Muitos me aquecem, feito um sol, de mansinho ou de rompante. Outros vão mais além, e me fazem melhor e mais feliz um dia todo. Poderiam dizer que são bondosas, imensamente bondosas,
envolvidas , feito ativistas, na arte de fazer feliz.
Já dizia Fernando Pessoa, " Grande é a poesia, a bondade e as danças...".
Na frase do grande poeta, acrescento o Amor!
( Imagem do céu de Araçatuba sob o olhar atento de Rubem Gandres, Grande poeta, Grande Rubem...)

5 comentários:

  1. Gostei de te ver assim, pra cima! pena não ter sido eu o "iluminador de Joyce" mas mesmo assim gostei. E , espero, vejas nas minha humildes palavras - mas tão cheias desse teu amor - um pouco de luz , como me és!

    ResponderExcluir
  2. O prazer de despertar um sorriso cria uma transformação em nós mesmos!! Transformo-te e transforma-me em seres mais felizes e mais iluminados. Com mais vontade de viver e se conhecer! Bjuuzzzz

    ResponderExcluir
  3. cada dia que venho aqui tem mais fãs seus...poderosa, hein? Não me admira, pela mulher que és!

    ResponderExcluir
  4. Detenho-me aqui no tempo de um instante e transformo esse momento, quase passageiro, numa eternidade. Leio as tuas palavras e sinto a intensidade de cada uma delas, como o sol que queima a pele morena dos pescadores de outros tempos.
    Um farol ao longe, uma tempestade de emoções que de tão intensa não assusta, mas embala.

    "Depois pensemos, crianças adultas, que a vida
    Passa e não fica, nada deixa e nunca regressa,
    Vai para um mar muito longe, para o pé do Fado,
    Mais longe que os deuses." F. Pessoa

    ResponderExcluir
  5. acabo de comentar com um amigo, poeta nato, que meu blog parece um chamariz de grandes poetas, até então guardados em gavetas, a revelar -se....Que benção!

    ResponderExcluir