sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Muitas em uma

Hoje, mais do que ontem, tenho certeza de que nos cabem muitos amores. Em mim cabem muitos, e a todos eles dou igual atenção. Do amor, louco, que vem e vai, do amor que está voltando ao sabor do vento, do amor nascido das palavras, do amor que está nascendo sem pressa...e até daquele furtivo, que me roubou mais do que eu pretendia dar. São meus, mesmo sem me apropriar inteiramente deles. São meus, mesmo que não correspondidos. Me fazem bem, me deixam no ar, sintonizada com coisas boas e prazeres esquecidos. Me ditam mulher, me completam, me definem cada um a seu modo, e eu a eles. Sou muitas, sou todas, ao mesmo tempo que uma só, inteira e verdadeira. Me redefino a cada gesto, a cada encontro, me vejo diferente frente a cada um - hora mansa, hora frenética, hora sonhadora, hora pura batalha, mas sempre intensa, sempre eu, sempre toda. Meus sabores variam do doce ao picante, de fruta refrescante à xícara de chá, e me entrego total, mesmo em devaneio , antes pela simples vontade de fazê-lo, depois pela plena aceitação de quem sou.
E sigo, amando, sempre. Está dentro de mim, não há como negar. Sou muitas em uma...cabe a eles me aceitar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário