segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Ouvindo o vento

Recebi para reler - sim, porque já havia me iluminado com tal mensagem - o discurso de Steve Jobs sobre sua trajetória de vida, e como o amor (ele de novo, e na voz de pessoa tão respeitada) pelo que se faz traz transformações. E sinto que estar atento transforma nossos sonhos - muitas vezes desacreditados e incompreendidos - de lagartas em borboletas. Nosso caminho entre o que se busca e o encontrado pode ser árduo, enrolado, confuso, dúbio, duvidoso. Mas ela, a grande borboleta, estará lá se colocarmos nesse caminho um coração aberto, uma intuição firme, um olhar atento. Ou, como esse mesmo querido amigo que mandou a mensagem, no qual se espelha, fala: ouvir o vento. Aos desacreditados, afetados pela frieza dos tempos, pode soar falso, fraco, frouxo. Mas não o é. Falsa, fraca, frouxa e sem gosto é e/ou será a vida destas pessoas que se deixarem afetar, induzir até, mas não impunemente, pela correria desmedida do mundo.
Estas, cedo ou tarde, vão perceber o quanto perderam na ânsia de abrir o casulo e retirar a borboleta, ainda incompleta, ainda imatura, e ver que tudo poderia ser diferente se tivessem esperado o seu tempo certo.
E ouvido o vento...

5 comentários:

  1. Fico cada dia mais impressionado com a forma feminina que transformas um grande drama humano em pura poesia, como transformas as lagartas da vida em lindas borboletas. E eu fico aqui, de camarote, a vê-las passar...

    ResponderExcluir
  2. de onde vem tanta criatividade e tanta consciencia da vida? Não me pareces humana, ate por se-la demais.... vc existe mesmo?

    ResponderExcluir
  3. "...e ver que tudo poderia ser diferente se tivessem esperado o seu tempo certo."

    Perfeito!

    ResponderExcluir
  4. Estava um tempo sem vir aqui e te vejo ainda melhor (como se isso não fosse previsivel). Que textos! Que maravilhas! Que delicia de pessoa!!! Minha escritora favorita ,reserva ai um exemplar da sua primeira edição!!!!bjssssssss

    ResponderExcluir
  5. Li, reli, engasguei. Parecem simples palavras, mas vão muito além disso.Mulher inteira, és, e encaras a vida de uma maneira tão encantadoramente intensa que me assustas...Descobri que fraco sou...

    ResponderExcluir