quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Pura energia


Ontem me chamaram a atenção - que bom que de forma divertida , deixando-a leve - que trabalho demais, que sou muito agitada, que não paro, reclamação contínua de amigos e amores que ficam a disputar minhas horas da vida. "Trabalho"(assim mesmo, entre aspas, porque me parece tão leve...) o dia todo - porque gosto - e estudo à noite - porque gosto. Estou sempre, como dizem por ai, antenada. Acho que ponho no trabalho e na procura do saber muito da energia de outros setores da minha vida que não estão me dando tal retorno, tal afago, tal prazer. Trabalho com e as palavras, e já cansei de descrever aqui o quanto preciso delas, todas, seja qual for o objetivo. E estudo para saber, para conhecer fatos e pessoas, pois deles - fatos e pessoas - me alimento. Gosto da coisa sábia, das boas palavras, de acolhê-las ou de contestá-las. Não fico inerte a elas: convivo, retribuo o prazer ou o desprezo... a não ser aquelas, de que já falei, raras, que de tão sábias, me calam. Emocionar-se com as palavras ditas ou escritas é uma benção.
E descobri , ontem, que me encantam mais ainda as palavras que não saem pela boca. Encanto-me com as bem ditas pelo olhar, úmido da emoção de dizê-las , talvez (bom fosse) silenciadas pela carga de paixão que carregam, e até, quem sabe, do simples prazer de proferi-las. Encantam-me as palavras ditas com calor, as que saem pelos poros, as carregadas de deliciosas segundas intenções... me entram pelo olhar, me invadem o corpo todo, me iluminam por dentro , me aquecem como um beijo bem dado.
Talvez seja a mesma paixão que me leva a cada dia madrugar em frente ao computador e entregá-las aqui,
a vocês - primeiro a mim, na verdade - com tanto prazer.
Ps.: deixo aqui meu olhar já saudoso para uma grande pessoa que me apareceu da ânsia de aprender. Contigo muito aprendi sobre o calor das palavras ditas com brilho no olhar - que tudo mostra ou tudo esconde. Das tuas palavras, incentivo. Do teu olhar, muito mais. E como sempre dizes: beijos no coração! Que os leve, todos, em tua viagem para além mar...

7 comentários:

  1. Esse titulo tem tudo a ver com voce... Bom, e o texto, excelente , vivo como sempre, mas o final dá uma ponta de ciúmes , ou pior, de inveja...ser "homenageado" por uma mulher com vc deve ser a glória!

    ResponderExcluir
  2. Falas das palavras como se tivessem vida própria, mas essa vida,essa energia que vês nelas emana de ti. Tu , sim , tens luz própria, tu fazes delas tua morada, dás a elas toda a tua energia...e eu, como mero - mas entusiasmado!!! - leitor só leio e me deleito... bjs, não no coração e sim na alma....assim os levas além dessa vida.

    ResponderExcluir
  3. Joyce, querida!

    Voltei ao Neruda, de outro dia: "Tudo está na palavra... Uma idéia muda porque uma palavra mudou de lugar ou porque outra se sentou como uma rainha dentro de uma frase que não a esperava e que a obedeceu...". Ler você me faz lembrar o poeta.

    É uma honra a homenagem. Que teu texto continue cada vez mais metáfora da vida, do ser, dos sentimentos mais recônditos, da sensibilidade que está em cada letra, gesto e olhar teu.

    Talvez, "por isso somos quem somos", como escreveu o filho poeta do grande Thiago de Mello, "estrelas de um só momento/ mas cujo brilho ameaça/ a ordem do firmamento".

    Te levo no coração para muito além de Além-Mar...

    Beijos no teu coração,

    Samuca

    ResponderExcluir
  4. Ai ai...! Ler tuas "simples palavras" me faz por algumas vezes cair em suspiros...porque me põem a pensar sobre minha vida, os meus quereres, meus não quereres, meus desejos, medos...enfim, tu me põe a pensar mulher!!!(risos)E olha que bonita frase achei hoje prá ti... "A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso. A palavra foi feita para dizer." - Graciliano Ramos
    É o que tu fazes, com muita clareza!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Existe neste teu hino, perfeitamente escrito, o poder de uma simbiose sublime entre dois mundos quase paralelos. Recordou-me, mais uma vez, aquela longa conversa que um dia tive com o meu poeta/mendigo. Falava-me das máscaras, dos palcos da vida, de Shakespear que esvrevia "the world is a stage an we are mere actors"... Talvez só hoje, e através de ti, eu tenha realmente entendido aquelas palavras. A perfeição existe para nunca ser alcançada ou deixará de ser perfeição. E esta demanda que encontro em ti, O Magis, o mais (e repara como esta palavra origina uma outra mais intensa ainda: magia), emociona-me e desvenda lentamente um mundo novo para mim.
    Destrois as máscaras, tornas transparentes as coisas que de tão belas e simples, poucos as conseguem ver. Aquela palavra "trabalho" não creio existir no teu mundo. Vives a intensidade que todas as coisas possuem e a escrita, o dever, as emoções, são unas em ti. Valem pelo todo que formam e pelo prazer que cada uma delas te proporciona. Isso é a Joyce mulher que vou aprendendo. Uma existencia sem compartimentos estanques, onde existe tanta beleza numa folha que se suspende no ar em pleno outono, como no desenhar de um projecto de arquitectura. Seria impossivel viveres de outra forma que não fosse intensamente. E nessa tua busca constante, nesse teu olhar atento do coração e da alma, pulsa essa tua força maior. Força de Pessoa e, mais sublime ainda, força de mulher.

    Muito longe, muito perto de ti, e mesmo sem palavras, tu sabes o "eu" que encontro em ti.

    ResponderExcluir
  6. Nisso está o meu verdadeiro fascínio: para umas simples palavras que digo, respostas tão intensas, tão densas!! Bom despertar nas pessoas seu lado mais poeta, mais vivo, mais livre. E eu as amo, pessoas e palavras, que me fazem chorar...

    ResponderExcluir
  7. De onde vem tanta emoção em tuas palavras??!!!Só me resta....aplaudir......
    Meg

    ResponderExcluir