segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Sobre o poder dos As

Já ousei falar que este blog - e minhas simples palavras - tem um efeito de cura sobre mim. Mas tenho notado, maravilhada, que a cada dia ele tem assumido outros sentidos, surtindo outros efeitos, todos vagarosamente degustados a cada dia, por mim e por outros. Recebi um comentário de "meu poeta além mar" que diz sobre meu texto falando de Amizade (que ele, mesmo sem querer/saber, se inclui) :
" O teu texto... entranha-se no coração de quem o lê... Reconheço nele toda a força das palavras. Talvez seja essa a razão de o "A" ser a primeira letra de toda esta linguagem gráfica. Alma, amor, alegria, além, aquém, aberto, atento e... amizade. Reconheces a distância que não existe nessas palavras? A história de quem está longe e, ao mesmo tempo, aqui tão perto? Existe magia pura nessa tua linguagem, existem todos os segredos dos alquimistas de outros tempos, existe aquele Graal que é a própria essência da vida.
Porque as palavras são infecundas: se existem, se têm essa vida e crescem e riem e choram e lutam e amam... é porque o segredo de toda a criação está em ti".
Não sei se ele imagina o que tão poéticas e bem colocadas palavras me trouxeram: um alento, um calor, um perfume especial, uma sensação deliciosa de se sentir admirada pelo tão simples gesto de escrever. Isso prova que o faço de coração, com a alma, com amor, com paixão, com tesão. Me encontro aqui, em cada letra , em cada junção de vogais e consoantes que, juntas, formam um som gostoso, segundo ele, de ouvir. Se dou vida às palavras, se faço delas belas bailarinas, é porque vão nelas muito de mim. Se gargalham, me fazem feliz; se brincam, me deixam leve; se choram, as conforto... e elas a mim.
Elas, todas, somadas a tais elogios, são meu tudo, minha magia, meu êxtase, meu nirvana, cura, gozo
(e o que mais quiserem chamar, desde que insano).
Ele fala da força das palavras que começam com A ... e eu acrescento a esta lista de tamanho significado para mim o seu próprio nome , que por si só já me faz mais feliz a cada dia que o recebo.
Alguma dúvida de que me és, meu lindo poeta, mui especial?

6 comentários:

  1. Quase não comentei por pura inveja. Que teu "poeta alem mar" saiba aproveitar esse momento de ser homenageado por tão completa mulher!E ele tem toda a razão: dás vida às palavras e à própria vida!

    ResponderExcluir
  2. Eu fico lendo suas palavras e os comentários e fico viajando em tudo isso...não sou poeta como tu, nem tenho esse seu dom de montar palavras e dár-lhes tantos significados ao ponto das pessoas vestí-las...Como também com músicas qual sou apaixonada, me "visto" também nas poesias. Nesse seu texto sobre os "As" enquanto eu o lia, ouvia ao fundo dos meus ouvidos essa canção...

    "A letra A do seu nome
    Abre essa porta e entra
    Na mesma casa onde eu moro
    Na mesa que me alimenta
    A telha esquenta e cobre
    Quando de noite ela deita
    A gente pensa que escolhe
    Se a gente não sabe inventa
    A gente só não inventa a dor
    A gente que enfrenta o mal
    Quando a gente fica em frente ao mar
    A gente se sente melhor
    A abelha nasce e morre
    E a cêra que ela engendra
    Acende a luz quando escorre
    Da vela que me orienta
    Apenas os automóveis
    Sem penas se movem e ventam
    Certeza é o chão de um imóvel
    Prefiro as pernas que me movimentam
    A gente em movimento: amor
    A gente que enfrenta o mal
    Quando a gente fica em frente ao mar
    A gente se sente melhor" (A Letra A- Nando Reis)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Ana, te dizes não poeta, mas o és...poeta não é só o que põe no papel seu amor pelas palavras. É também quem as ama, quem as declama, que as sente e se deixa envolver! bjs

    ResponderExcluir
  4. Hoje é um dia feliz. De novo voltei a este pergaminho das emoções que gravas no tempo. Com a ânsia das coisas perfeitas, percorri cada uma das tuas palavras, cada um dos seus sentidos, cada mistério que encerras em ti.
    Detenho-me, toco, saboreio, uno-me a cada palavra tua. E já não sou eu, e já não és tu. É força transcendente, é criacção suprema. Vejo-me, revejo-me nesse teu mundo e algo de grandioso acontece. Entre a ideia e a matéria surges tu. O tempo desaparece e o espaço é imaterial. Fica a tua essência e ficam em mim os teus segredos que jamais conseguirei desvendar, mas que me aconchegam e embalam nessa tua força criadora da própria vida, nesse teu perfume de mulher.

    E se existir uma palavra para te agradecer, eu calo-a neste momento; porque momentos há em que nem as palavras bastam por tão limitadas que são.
    Então, fecha os teus olhos e nesse silêncio em ti, ouvirás as palavras que eu não sei mais te dizer.


    Ovunque sarai, ricordati,
    ho messo la mia voce nel vento
    ed essa arriverà a te
    con uno sbatter d’ali d’aquila.
    Se sei triste sarà di conforto,
    se sei felice sarà di gioia.
    Il mio messaggio per te
    è che tu possa splendere come il Sole.
    Ovunque sarai, ricordati,
    ho messo la mia voce nel vento.

    ResponderExcluir
  5. cada dia fica mais dificl postar aqui.... ate isso consegues: juntar pessoas que escrevem bem. belo dom! mais um!

    ResponderExcluir