sábado, 28 de março de 2009

Bouquet

Minha divagação do dia foi sobre as escolhas que temos que fazer na vida. Nem sempre as únicas que nos cabem são as que nos completam, que nos complementam. Sinto isso quando falo de vários assuntos, de comida a estilo de roupas. E nisso está a diversão da vida, a de nada saber, de nada ter certeza plena e chata. E posso levar isso ao pé da letra, até em assuntos ditos "sérios" , como na relação com o outro. Já falei aqui, e insisto, que cabem em mim muitos amores. E para cada um deles, meu par correspondente, meu dito par ideal. Um que me respeite, outro que me agrade aos olhos, outro ainda que saiba quando estou precisando de carinho e afago - ou uma simples massagem no ego. Um para me alertar dos passos errados, outro para aplaudir os certos. Um para rir de minhas tolices, outro me fazer rir das suas. Um para me pedir colo, outro para me dar. Que me veja linda mesmo quando não me vejo. E que me beije e se deixe beijar. E que me veja alegre quando estou a um passo de desabar. Aquele que se diz desapegado e que eu veja nisso seu apego. Aquele que se diz forte e eu veja nisso sua fraqueza. Mas paro e penso que quero mesmo,é um, único e pleno, para amar para o resto de minha Vida. Que seja sim , um pouco de tudo isso. Feito um bouquet colorido, de várias flores, várias delas, em cada uma seu valor, sua cor, seu cheiro, sua dose de amor,
sua forma diferente de me amar.
Bouquet de Amor!

Um comentário:

  1. Volto a frisar, com certa tristeza e muita inveja, da sorte daquele que ves como teu bouquet... És o meu!

    ResponderExcluir