domingo, 8 de março de 2009

Mulher



" Aprendi com a primavera a me deixar cortar. E a voltar sempre inteira”.

(Cecília Meireles)

Com esta verdade desta belíssima mulher das letras, começo minha homenagem ao Dia Internacional da Mulher.
Recebi, de forma antecipada, muitas manifestações, todas lindas e espontâneas. Fizeram-me pensar que, sim, estou valendo a pena. Que faço diferença. Que sou.
Mas não vou aqui tecer os elogios de sempre, elogios corriqueiros, elogios de fachada, de mídia. Quero elogiar aqui a mulher em sua essência, a mulher íntima, aquela que muitas a sabem dentro de si, mas poucas a conhecem, a deixam a (flor) ar... Quero elogiar aqui a Fêmea, a Deusa, a Guerreira do Amor.
Elogiar a Mulher, assim mesmo, de forma intensa e nua, forte, maiúscula.
Tanta força há nela. Tanta luz. Tanto fogo. Tanto. Abdicada de seus poderes por vidas a fio para que não afetasse tanto ao mundinho fraco ao seu redor, continua lá , à espreita, esperando a melhor hora de se mostrar. Já foi bruxa, já foi feiticeira, queimada em praça pública. Se fez deusa do amor, provocou e definiu guerras. Se fez meretriz, se fez escritora, mulher de sucesso. Foi queimada, excomungada, escrachada, desprezada de tantas formas e aceitou , por puro medo (ou sobrevivência, sabedoria?). Puro medo. Medo de que usasse suas armas em outro lugar que não no amor. Medo de que se tornasse muito, tanto, tudo.
Medo de que se tornasse ela mesma.
Ah, Mulher, quanta força guardada em ti! Liberta-te! Usa de tuas armas! Tira tua couraça, entrega-te ao mundo de forma sábia, aos poucos, de leve, estratégicamente devagar. Mostra-te inteira, única, infinitamente bela! Devora a vida - pelas beiradas, de mansinho, saboreando deliciosas colheradas - mas devora, não se deixe levar! Lembre-se da frase de tantas Cecílias e se deixe podar, sim, mas apenas para
voltar com tua infinita força...

3 comentários:

  1. Para ti, Joyce, todo dia é - ou deveria ser - especial, pois és verdadeiramente MULHER, com todas as letras, força, beleza e sentimentos inseridos nesta palavra. Linda!!!

    ResponderExcluir
  2. "A Fêmea, a Deusa, a Guerreira do Amor.
    Elogiar a Mulher, assim mesmo, de forma intensa e nua, forte, maiúscula" essa é a Joyce que eu amo e que encontro todos os dias nestas lindas palavras...Saudade infinita da Joyce que ainda não conheço, mas sonho...

    ResponderExcluir
  3. Carlos Maurício Duartedomingo, 08 março, 2009

    mágicas e delicadas
    as curvas, os perfumes, os sorrisos
    cheias de azul e amarelo
    florescendo vida em seus ventres maternos
    dos seus seios brota o leite
    que vai dar força aos filhos e homens
    sem o poder de suas varinhas
    seríamos apenas nada
    só as mulheres podem ser fadas

    ResponderExcluir