sexta-feira, 10 de abril de 2009

Cabra Cega


Vendar-se os olhos para conhecer o outro. Parece brincadeira de criança, das que muito já fiz (porque será que chamam de cabra cega?). Ou exercício das aulas de expressão corporal onde muito aprendi (todos deveriam fazer, principalmente os adolescentes que não se amam...).
Venda-se os olhos para ver. Parece contra-senso, mas não o é. Vendar-se os olhos para bem conhecer o outro. Conhecer seu coração e sua alma antes de apaixonar-se por seus olhos...
Num mundo guiado pelas aparências, pela primeira impressão que fica, pelo pré-conceito viciante de nossos olhos, desconhecemos esse valor. Sabê-lo sem vê-lo. Melhor ainda: sem tocá-lo, sem sentir seu cheiro, sem ouvir sua voz (ai...) , o som de sua gargalhada (ah... essa diz tanto...).Primeiro saber como pensa, como fala, o que diz, como diz. Vê-lo nas entrelinhas. Ver seu gosto e seu sal, seu tempero e sua luz somente através das palavras (e meu tesão por elas, as benditas!). É como vê-lo por dentro, de dentro para fora, da alma à pele, caminho inverso e feliz. Apreender dele o seu melhor a me dar. O seu melhor...
O próximo passo ideal seria feito Frank Slade, o tenente-coronel cego impecavelmente interpretado por Al Pacino no maravilhoso filme Perfume de Mulher... mas ai já era de arrasar!
É , já dizia o ditado, tão simples, tão antigo, tão repetido da boca para fora - e tão sábio:
"Quem vê cara,...não vê coração."


2 comentários:

  1. Por isso o sucesso das relações via bate papos na Web... Um cabra cega virtual, onde se conhece o interior antes do exterior. beijos.Ma

    ResponderExcluir
  2. Bom jogo esse seu...de jogo de criança a puro jogo de sedução... desconfias que brincas de cabar cega com a gente todos os dias aqui? Não seria esta a tua pretensão?

    ResponderExcluir