quarta-feira, 8 de abril de 2009

Cem

Esta semana completei 100 dias de não solidão. Por cem dias tenho vindo aqui e deixado meu clamor à Vida. E ela me veio, e me vem, sempre e sorridente. Viva, densa, forte Vida. Cem sessões da mais pura terapia. Ingênua, tênue, mas procedente terapia. Deixo aqui, ao bel prazer ou desprazer de meus leitores, um pouco de mim, um muito de minh'alma. Sinto-me, à cada página, mais leve - ou mais pesada. Fico acariciando as idéias, às vezes, por horas, dias. Detenho-me nas preliminares. E depois tiro de mim o texto sempre de forma leve, solta, deliciosamente prazerosa. Êxtase. Rio por dentro, rio sozinha, de mim e das palavras, das idéias e pensamentos. Das armadilhas e das surpresas. Compartilho, somo, divido, inúmeras operações, mas nunca subtraio a não ser de mim mesma. Escrever me conforta. Escrever me dá energia. Escrever me dá paz. Escrever me cura. Escrever me dá tesão. Amo as palavras, amo-as em mim e a forma que saem de dentro, feito gozo. Prazer, puro. E delas, renasço, a cada dia. Sou outra depois delas.
Feito Fernando Pessoa, o grande poeta do amor e da Vida, sinto-as como " frases sem sentido, decorrendo mórbidas, numa fluidez de água sentida, esquecer-se de ribeiro em que as ondas se misturam e indefinem, tornando-se sempre outras, sucedendo a si mesmas. Assim as idéias, as imagens, trémulas de expressão, passam por mim em cortejos sonoros de sedas esbatidas, onde um luar de ideia bruxuleia, malhado e confuso."
Gozo, palavras para mim o são. Do mais prazeroso.

Um comentário:

  1. ...há que se falar muito ainda sobre isso...depois dos "P2P" o M2M (mind to mind) acho, é a ferramenta mais em uso na net! rsrss...Já pensou na ligação que estabelecemos? decerto que sim né Joyce? Essa considero a fonte das delícias que nos tomam prazerosamente...
    E num futuro distante dispensaremos todos os veículos num contato direto "wireless" de criatura para criatura. Hehehehee...
    GL

    ResponderExcluir