quarta-feira, 29 de abril de 2009

Elixir


Ah, o Amor, elixir da juventude. Rejuvenesce-nos por dentro e por fora.
Dá novos ares, novos sorrisos, novos sentidos à velhas palavras. Faz pulsar com mais força o sangue nas veias, escorrer melhor o suor no corpo. Arrepio à pele, rubor à face. Tudo pulsa, tudo corre, tudo a seu contento.
Ah, o Amor, esse elixir de felicidade. Pega-nos desprevinidos e faz de nós adolescentes outra vez. Arranjamos tempo, damos jeito nas coisas, revisamos valores. Faz -nos esquecer as vergonhas, faz-nos esquecer os defeitos. Faz-nos ver o esquecido, revirar baús.
Ai, que delícia o Amor! Encantar-se mais ao menor encantamento - já dizia o poetinha - , apaixonar-se mais a cada momento, sugar do outro tudo o que tem a me dar.
Ai, que fascínio o Amor. Rir-se sozinho, perder-se no tempo. Fonte de toda inspiração, de todo tesão, do querer dar-se por inteiro a todo o momento. Sim, Amor é doação, é desprendimento, é esquecer de mim e formar o Nós.

Ai, que tudo é o Amor, que me faz melhor, por fora e por dentro! Faz-me linda!

Soneto Do Amor Total
Vinicius de Moraes
Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

2 comentários:

  1. Mestra no amor, de todos eles. Encanto-me mais a cada dia com tua magnitude diante da vida... Pego-me pensando: quem será o grande merecedor deste amor? Será que corresponde? Será que existiria no mundo alguém merecedor de tanto amor? Se existe, que apoveite, pois és pedra rara, já lapidada pela vida...

    ResponderExcluir
  2. ...é sentir afeito aos namorados... a invadir a alma doces fluidos, frisson... energia gelando a espinha, dando nó na barriga, acelerando o coração e a libido em convulsões de alegria e prazer... Doce enlevo adolescente a sentir quem ama a qualquer tempo na vida, entregue ao outro em puro carinho no aconchego dum sentimento nobre e sublimado... A ler-te ouço o sussurar de tua voz ao meu ouvido a dizer-me esse refrigério a minh'alma ansiosa, e te espero... e ainda que não saiba de ti mais do que sinto, hei de saber-te presente mesmo não estando vez que o sonho não limita o ser, e assim aguardo sonhar acordado e ao ver-te afinal morrer de prazer...

    ResponderExcluir