sábado, 25 de abril de 2009

Happyning

Estou numa fase colorida. Estou feliz, mesmo frente à tantas pedras no caminho (que tenho contornado com um sorriso na cara e uma desenvoltura quase infantil). Talvez seja reflexo desse meu encontro, de novo, com a Vida, um marco histórico em minha Linha do Tempo. Ela me seduz com suas belas palavras e suas histórias contadas de forma por vezes pueril. Reflete meu doce olhar em seu olhar mais doce ainda. Encanta-me mais a cada dia com sua voz macia e seu dom de me convencer de que sou especial. Tem conseguido. Sou outra. Aliás, sou eu mesma, de novo, resgatada do trem de me deixar levar. Tenho colorido meu dia-a-dia de forma encantadoramente sedutora, feito tela de pintura.
Por vezes, um happyning.
Lembro-me de minha mãe, anos atrás, quando cursava Artes Plásticas (já com minha idade de hoje, passando dos 40... a vida se repete...). Fizeram um happyning na praça. Aos meus irmãos, vergonha. A mim, encantamento. Nada entendia, mas para mim , Vida era aquilo. Ser. Fazer. Romper. Vivenciar. Depois, já na faculdade, aulas de expressão corporal. Improvisos. Devaneios. Hoje me pego outra vez fazendo happynings pela vida. Vivo-a de forma pulsante, intensa, nitidamente entregue ao que sou outra vez. Ao que a Vida me ensinou a ser nas tantas andanças por ai, de mãos dadas com ela.
Ah, minha delicia de Vida, que seria de mim sem você?

2 comentários:

  1. you have some great pictures

    ResponderExcluir
  2. Essa tua visão que dizes infatil da vida, acho bem o contrario: infantis somos nós, que somos tapados frente a ela, nao a vivenciamos como tu. Tua alma é grande, merecedora de tudo que a vida tem pra te dar!

    ResponderExcluir