terça-feira, 7 de abril de 2009

Perfume

Vem dos mais inesperados cantos os elogios mais doces.
Recebo-os, feito rosa.
Deixam -me perfumada um dia todo, por vezes dias.
Recebi ontem de um amigo virtual que mal conheço. Sujeito engraçado, sutíl, misterioso, de uma leveza ímpar. Disse, em texto poético, como sempre : "Escrever pra você é difícil. Nem consigo terminar, parece haver tanto a dizer...tenho que deixar as idéias assentarem... ". Achei lindo, encantador. Simples e lindo. Puro. E muito, muito encantador, pela nobreza, pela modéstia, já que é também um poeta da vida. Um elogio sem premissas, sem intenção que não a de simples elogiar. Elogio sem cobranças, sem espera de resposta, objeto raro. Fez-me acreditar que estou num caminho certo, o da falta de pré-conceito sobre as pessoas, o da credulidade sem sabê-lo. Caminho da amizade sincera, do não saber-se, do não conhecer-se e mesmo assim gostar-se. Não seria esse o caminho correto da amizade? Um caminho sem poréns, sem senãos. Caminho sem esquinas, sem becos, caminho livre. Tenho, sim, muitos amigos, poderia dizer. Amigos sem face, mas de muito coração. Que todos os dias alegram-me com suas palavras, seus incentivos, suas preocupações comigo.
E este, terminou seu comentário, já belíssimo, com mais um elogio. Lisonjeador, mas esse não me cabe, não senhor: "É melhor ser rei do teu silêncio do que escravo de tuas palavras"(Shakespeare)


Um comentário:

  1. Voce sempre seduzida pelas palavras....quem me dera ter este poder...

    ResponderExcluir