sexta-feira, 15 de maio de 2009

Bolinhos de chuva

Ontem á tarde choveu, fez frio. Meu pensamento foi às camas com colchas de retalho e ao cheiro de bolinhos de chuva. Tempo bom, de leituras e sonecas, de olhar a chuva pela janela, sem pressa que terminasse. Ver seus desenhos sobre a areia da praia, ouvir seu barulho no telhado baixo.
Ah, os bolinhos de chuva. Mistura misteriosa de farinha e afeto. Para acompanhar, quente café com leite, ainda do leiteiro que entregava na porta. Tal cheiro invadia a casa toda,
um complemento poético ao chover sem parar.
Ah, bolinhos de chuva, pequenos carinhos maternos. Medidas de olho na bacia, mexidas ligeiras com as mãos, bolinhas na colher, óleo quente no fogão. Calor do fogo, cobertura de açúcar e canela. Quanta doçura feita de tão pouca coisa, pequenas gostosuras devoradas por bocas também pequenas.
Para finalizar, dedinhos chupados, beiços lambidos. Feita a festa.
Ah , bolinhos de chuva, caixa de belas recordações. Álbum de belas lembranças.
Pedaços de bem amar.
Bolinhos de Chuva
Ingredientes:
1 ½ xícara de farinha de trigo
½ colher de sopa de fermento em pó
2 ovos
½ xícara de chá de leite
4 colheres de sopa de açucar
Óleo para fritar
Açúcar e canela em pó a gosto (num recipiente separado)
Modo de preparo: Misture bem a farinha de trigo , o fermento em pó, os ovos, o leite e as quatro colheres de açúcar. Forme uma massa bem cremosa. Deixe o óleo bem quente numa panela de forma que esse cubra os bolinhos que você irá fazer em seguida, com uma colher pequena ou média, formando uma bolinha. Leve ao óleo fervente , deixe dourar bem. Retire, escorra o excesso de óleo, coloque logo após em papel absorvente para retirar o excesso. Logo após, passe no açúcar já misturado com a canela, e sirva.
Rendimeto: 35 pedaços do céu e muitas crianças felizes.

2 comentários:

  1. Que delícia!!!! Ainda ontem pedi à mamãe que fizesse uns bolinhos para combinar com a chuva e o café recém passados. Eu e minha criança interna nos deliciamos.... Rose D.

    ResponderExcluir
  2. Encanto-me a cada dia mais que entro aqui. De tal singela coisa, bolinho de chuva, quanta poesia. Vês poesia em tudo e isso faz de ti uma mulher mais do que especial. Sorte de quem te vive...arrisco a dizer: amo-te!

    ResponderExcluir