sábado, 30 de maio de 2009

Entrega


Mal começa a esfriar e já vem a vontade de tomar um bom vinho.
Para mim, um ritual.
Taça grande, mão cheia, boca curiosa. Até a cor me atrai, como se visse nela a amplituide da viagem que aqui começa. Cheiro seus aromas, sonho em saber de onde vem, o vinhedo, a cor das uvas, o cheiro da terra. Beijo a taça, brinco com ele em minha boca, sorvo seus sabores. Sinto ali se o namoro vai persistir ou se é só mais um flerte.
Os impotentes, bebo e basta. Os apaixonantes descem quente pela minha garganta e aquecem até minh'alma. A eles me entrego. É como se o caminho entre meus lábios e meu ser fosse sendo purificado - ou seria o contrário? Sem querer saber, me entrego , da paixão à primeira vista até a última gota. Sedenta. Apaixonada. Cúmplice. Aberta.
Calor. Surpresa. Pele rubra. Paixão.

Tudo posso do vinho que me aquece por inteiro.
Entrego-me, sem juízo. Eu o absorvo, ele me detém. Par perfeito.
Sabe lá Deus onde isso vai parar...

Mon Dieu...
Donnez moi la sante pour longtemps
De l'amour de temps en temps
Du boulot, pas trop souvent
Mais du bordeaux tout les temps.

Meu Deus...
Dê-me a saúde por muito tempo
Amor de vez em quando
Trabalho, não muito assíduo
Mas Bordeaux todo o tempo.

(versinho francês da região de Bordeaux)

2 comentários:

  1. Até com o vinho fazes amor...transbordas sensualidade. Mas não de forma vulgar, e sim uma mulher intensa, paixão de muitos...Enfim, completa, perfeita pra mim...

    ResponderExcluir
  2. És como um bom vinho: cada dia melhor. Deves ser conservada em barris do mais puro carvalho.
    Encorpada, densa, intensa, rara bebida, para poucos sortudos...

    ResponderExcluir