domingo, 17 de maio de 2009

Flerte

Escutei a expressão "namorar as palavras" em uma aula sobre a escrita. Amei. Entendi como ninguém, pois eu mesma me apaixono por elas, aqui, todos os dias. Cada dia uma, cada dia mais. Atraem-me, feito imã. Encantam-me. Perco a fala, perco o jeito. Se me interessam, deixo a timidez de lado e flerto com elas. Abro aquele sorriso maroto, de canto de boca. O simples imaginar me dá prazer. Quando sinto firmeza, encaro-as de frente. Olho-as com meu olhar mais malicioso. Chamo-as até mim. Dai para o bom diálogo, do tímido olá à solta conversa sincera e franca, um pulo. Sinto-me em casa. Minha cabeça e minhas mãos voam, nem sempre coordenadas. As palavras me vêm, dançam em minha mente e eu as acompanho como dá. Umas se perdem, mas deixam a sua essência, seu caminho traçado, que sigo em deleite.
Amo as palavras, não canso de dizer. Fazem parte de mim, todas, faladas, ouvidas, lidas, escritas. São meu vício, meu fetiche. Gosto de brincar com elas, de jogar com elas. Gosto de surpreender e ser surpreendida. De ser engolida pela vontade de tê-las. Ser tragada por elas. Mas também de escolhê-las, misturá-las a meu bel prazer, degustá-las, feito misturas recém inventadas que levo a boca para me deliciar.
Ah, as palavras. Agora entendo o que o Pablito queria dizer...
A palavra
Pablo Neruda
Sim Senhor, tudo o que queira, mas são as palavras as que cantam, as que sobem e baixam ... Prosterno-me diante delas... Amo-as, uno-me a elas, persigo-as, mordo-as, derreto-as ... Amo tanto as palavras ... As inesperadas ... As que avidamente a gente espera, espreita até que de repente caem ... Vocábulos amados ... Brilham como pedras coloridas, saltam como peixes de prata, são espuma, fio, metal, orvalho ... Persigo algumas palavras ... São tão belas que quero colocá-las todas em meu poema ... Agarro-as no vôo, quando vão zumbindo, e capturo-as, limpo-as, aparo-as, preparo-me diante do prato, sinto-as cristalinas, vibrantes, ebúrneas, vegetais, oleosas, como frutas, como algas, como ágatas, como azeitonas ... E então as revolvo, agito-as, bebo-as, sugo-as, trituro-as, adorno-as, liberto-as ... Deixo-as como estalactites em meu poema; como pedacinhos de madeira polida, como carvão, como restos de naufrágio, presentes da onda ... Tudo está na palavra ... Uma idéia inteira muda porque uma palavra mudou de lugar ou porque outra se sentou como uma rainha dentro de uma frase que não a esperava e que a obedeceu ... Têm sombra, transparência, peso, plumas, pêlos, têm tudo o que , se lhes foi agregando de tanto vagar pelo rio, de tanto transmigrar de pátria, de tanto ser raízes ... São antiqüíssimas e recentíssimas. Vivem no féretro escondido e na flor apenas desabrochada ... Que bom idioma o meu, que boa língua herdamos dos conquistadores torvos ... Estes andavam a passos largos pelas tremendas cordilheiras, pelas Américas encrespadas, buscando batatas, butifarras, feijõezinhos, tabaco negro, ouro, milho, ovos fritos, com aquele apetite voraz que nunca. mais,se viu no mundo ... Tragavam tudo: religiões, pirâmides, tribos, idolatrias iguais às que eles traziam em suas grandes bolsas... Por onde passavam a terra ficava arrasada... Mas caíam das botas dos bárbaros, das barbas, dos elmos, das ferraduras. Como pedrinhas, as palavras luminosas que permaneceram aqui resplandecentes... o idioma. Saímos perdendo... Saímos ganhando... Levaram o ouro e nos deixaram o ouro... Levaram tudo e nos deixaram tudo... Deixaram-nos as palavras.

Um comentário:

  1. Palavra...verbo criador, pensamento escrito em forma e cor, intensidade e intenção, palavras que voam nos sons e fluem no constante e energético fluxo da vida. Ondas auricas envolvendo as criaturas e transformando halos, moldando formas e humores. Ah a força que elas tem ainda tão ignorada... mas sentimos sem mesmo o saber. Valor que tem no ambiente... Nelas todo sentimento emanado atirado a esmo em todas as direções... a informação que transforma e cria novas perpectivas... a mensagem com endereço a carrear clima suavemente elaborado para agradar...

    Sentimo-las é certo... definir pelas palavras, há que dominá-las antes, sabe-las, te-las, usa-las com tino e lógica, moldando o pensamento nelas, forma expressa ao olhar do leitor. Ponto de encontro, de troca... Elas existem pra isso! Carreiam toda gama dos sentimentos humanos pelo papel das vidas entrelaçadas em transito...

    Como não ama-las, adora-las e quere-las...são como nós mesmos ali colocados, sempre presentes diante do que queremos buscando levar o que sentimo e tocar como nós mesmos aos que as endereçamos. Cumprem o papel de mensageiras supremas de tudo que temos a oferecer num instante, o melhor de nós está ali para servir, e será nossa alma, nosso corpo, nossa boca, nossa mão... a palavra.
    Ela será tudo de nós...é tudo de nós e tudo pra nós.
    GL

    ResponderExcluir