sábado, 9 de maio de 2009

Olhar

Certo dia escrevi : "Rugas são segredos em braille", frase latente que saiu do nada.
Ou do tudo, sem nem saber. E veio morar dentro de mim.
Hoje me peguei pensando mais profundamente nisso. Em frente ao espelho, analiso meu rosto. Olho com o olhar de hoje, não com os olhos de outrora. Olho de forma mais atenta, com mais compaixão. Admiro, sem medo. Meus olhos, meus segredos. Estão neles contidos mais de 16 mil dias de bem ou mal olhar. Mais de 16 mil manhãs a me espelhar. Já foi olhar inocente de criança, admirador de menina, crítico de adolescente. Depois, olhar ansioso de jovem, preocupado de mãe. Já foi um olhar perdido, de quem está sem rumo, sem prumo. Hoje, um outro, lapidado pelo tempo. Sereno, tranquilo, olhos de tarefa cumprida. Um olhar doce. Um olhar esperançoso. Um olhar de alma lavada. Um não sei o que do que virá. Tem outro brilho, sempre próprio. Um brilho maduro. Tem um saber, tem um amar, tem a plena aceitação de mim. Hoje me olhei no espelho e me gostei. Mas do que ontem, talvez menos que amanhã. Só a Vida responderá!
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...
Vinicius de Moraes

Um comentário:

  1. Com certeza tens um brilho próprio, que emana de teus olhos cada vez mais, a cada dia. Feito estrela, és uma explosão de luz, cada dia mais, cada dia masia tenta, cada dia mais Joyce.Hoje te olhei no texto e te amei...mais...

    ResponderExcluir