quarta-feira, 6 de maio de 2009

Palavra

Não me canso de dizer: palavras benditas são tudo para mim. Definição. Paixão. Fetiche.
Mais que brilho nos olhos e o sorriso farto. Definem feito linhas da mão para a cartomante. Decrifram o outro e me decifram. Gosto do jogo delas, do jogo com elas. Na brincadeira com as letras, a dança dos sentidos, o amor pelos dúbios. Não canso de lê-las, interpretá-las, enroscar-me nelas, encaixar-me, rir delas e elas de mim. Desenham-me faces, definem-me sabores, aquecem os já calores. Levam ao céu e ao inferno, loucura ou doçura dentro de mim. Em sua presença, de nada me sei, sou outra, definida por elas. Encanto-me sob efeito de varinha mágica. Viro criança, me vejo mulher. Sou o que me definem.
E quão doce despertá-las em alma que as desconhece: vibro se tiro do outro palavras que não sabe. Deliro ao tirar do outro esse desconforto de não falar. Arrepio-me ao saber do outro o seu olhar, sem sabê-lo.
Sinto o outro nesse jogo de meras letras, corpo e alma nelas tem.
Ah, as palavras, amo-as todas. E amo o outro, que as declara para mim.
"Consumo-me pensando, hoje sou diferente de ontem, de dias atrás. Não parece, mas mudo...e mudo às vezes fico, sem palavras. Ah! Amadas palavras as quais anseio dar-te...Colo, quero dar-te...a mão, o beijo, o abraço amigo, o amor incondicional que conduz e acolhe, revitaliza e ilumina-nos a caminhada. Tu és minha linda guerreira, paladina do verbo terno e lindo de sentimentos penetrantes, que me atrai tanto, e ainda carente e desprotegida se expressa terna e carinhosa consigo mesma...
Oh, alma menina, mulher!
Sigo contigo ainda que não me vejas..."
GL

3 comentários:

  1. palavras...tudo que temos nelas...tudo damos por elas e conhecemos-nos nelas. O verbo, expresão de nós mesmos, extensão do ser, apêndice da criatura a penetrar espaços além da compreenção dos sentidos. Sinto como aqui a meu lado e vejo as formas expressas. Ligações a explorar na relção humana, palavras, simples escrita, complexa razão de ser, no ser que recebe, no ser que dá...trocas, mútuo carinho aproxima e nutre, união de mentes...Descubro-me novo, renovado em energias contagiantes no jovem anseio...ei de ser então presença concreta junto a ti palavra querida. Conta-me mais, dize-me tudo!
    ...Oh! alma menina, sigo...breve...
    GL

    ResponderExcluir
  2. Teu amor pelas palavras, meu amor, é digno e reconhecido. Mostra ainda mais teu desprendimento, tua abertura, teu ser como um todo: única e completa, como tu mesmo dizes. Mas não sei se sabes o alcance - teu e delas. Apaixonar-nos - ou até te amar - segue fácil... e frágil.Pobre de nós!

    ResponderExcluir
  3. Concordo: pobre de nós...uma só Joyce para tantos ais.Hoje é dia da Alegria, deveria ser o teu dia, linda mulher!

    ResponderExcluir