sexta-feira, 1 de maio de 2009

Pássaros são poemas

Ah, o silêncio da manhã. Tudo quieto, tudo inerte, tudo encantadoramente inerte.
Hoje é feriado, dia sem pressa. Amo.
Ainda escondida na cama e já pensando na Vida, ouço os pássaros, tantos, em minha volta, tão alegres já tão cedo. Tento reconhecer seus cantos, não pelo nome, que não sei. Pela alegria. Parecem brincar, ou falar compulsoriamente como faço quando estou muito alegre.
Todo ano tem ninho na minha casa, hora na chaminé da lareira, hora na varanda que dá para o jardim. Disso me orgulho, feito filhos ou netos. Encanta-me a jovialidade, a destreza, o desprendimento. Os cuidados com os ovos, a proteção do macho e da fêmea, pai e mãe.
A defesa da vida, da continuidade. O rápido libertar.
Ontem escutei algo diferente, feito flauta de conto de fada. O tempo parou. Supreenderam-me as pequenas jóias de corpo verde, pescoço vermelho e topete azul. Tinham um canto diferente, feito tenores, não sei explicar. Hipnotizante, o que vi e o que escutei.
Meu coração se encheu de algo que não sei...feliz.
Pássaros são lindos mesmo , doces, todos eles enfeitiçadores do meu coração. São livres. São fortes. Poemas em movimento. Inspiro-me nas sempre simples e sempre tocantes palavras do poeta com cheiro de mate, Quintana, quando diz que poemas são pássaros...
Eu diria, meu doce imortal, que também os pássaros são poemas.
Poemas coloridos que não cabem na minha mão.

Os poemas
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde
e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro,
eles alçam vôo como de um alçapão.
Eles não têm pouso nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mão.
Se partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
Quintana, Mário. Esconderijos do tempo. Porto Alegre,1980.
(foto que tirei, da minha varanda, dia qualquer de felicidade de vê-los...)

3 comentários:

  1. Bom dia , minha linda!Estás cada vez mais encantadora... Na simplicidade dos teus traços, tua beleza. Na de tuas palavras, tua sabedoria diante da vida. Perfeita!

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto, simples palavras que tocam a gente...estamos tão esquecidos das coisas simples da vida e voce nos resgata isso, todos os dias aqui...Grato!

    ResponderExcluir
  3. No silêncio, nesta calma em que me encontro penso, amada és como amas o que vês, amada és como és vista. Simples, clara, limpa no escrever como sentes, és amada. Sonha que te encontro breve...Pássaro, canto a ti no ninho que procuro a buscar o calor teu, e meu entoar pede teu mavioso canto, canta comigo, dá-me doce voz, alimento suave, alegria minha a enlevar-me o sono em que sonho que estou com você.
    GL

    ResponderExcluir