terça-feira, 19 de maio de 2009

Viagem

Vejo muitas mulheres se apavorando porque vão entrar no que dizem ser o "abismo dos enta". Fiz quarenta anos, fazem cinco, muito bem vividos, obrigada. Até os quarenta me deixei levar. Nos quarenta me assumi, peguei de volta minhas rédeas. Guio com muita firmeza minha viagem, por vezes tosca,
pela vida.
Minha carruagem, às vezes, parece-me dura demais, às vezes sem freio, outras tantas descontrolada, mas seguro firme e domo meus cavalos. Domo minhas emoções, as que não valem a pena. As que valem, deixo-as seguir feito animais selvagens. Solto-as , livres, na pastagens da vida para que peguem ar,
saltitem, brinquem, para que sejam felizes.
Sigo minha viagem da melhor forma. Sigo atenta às paisagens e pessoas que por mim passam. Não perco os presentes que aparecem no caminho. Abro-os, e se forem realmente meus, levo-os comigo. Se não forem , já serviram de algo e os guardo no baú das lembranças.
Sigo minha viagem na boa. Sempre com um sorriso, mesmo que interno, mesmo que só meu. Faço paradas para avaliar o mapa, para deixar descer passageiros, pegar outros.
Minha carruagem segue cheia de amigos e amores.
Sigo em frente. Onde vai dar eu não sei. Aproveito bem a minha viagem,
a melhor parte.
Chegar nem sempre satisfaz. Melhor é o caminho.
E dele, sou mestra em aproveitar!

Um comentário:

  1. Felizardos so passageiros desta tua linda viagem!Leva-me!

    ResponderExcluir