segunda-feira, 22 de junho de 2009

Difícil

Estava lendo uma matéria sobre tristeza e de como não devemos negá-la, como faz parte da vida. Recebê-la e entendê-la, reconhecer de onde vem. Como um inimigo a quem se pode - e deve - diblar. E entregar-se, mas já pensando em como se livrar dela. Ou consumí-la da melhor forma, fazer dela lágrima ou pó.
Porque até princesas tem seu dia de gata borralheira. Ou de bruxa. O que nos cansa é a ideia enraizada de que devemos ser sempre felizes, custe o que custar. Mas as bruxas e madrastas da vida no rondam a todo momento, tentando-nos, esperando a hora de nos servir a linda maçã envenenada. Talvez porque sejamos mais belas que elas. Talvez mais amadas. Ou pelo simples prazer de nos ver sofrer.
Ser princesa não é fácil. Quem dirá ser uma menina-mulher normal como eu. Uma luta constante entre meus sonhos e o que a vida pode me dar. Sei o quanto ela me ama e sei o quanto é difícil me ver sofrer. E, se até para a maçã as intempéries trazem força e mais
benefícios a quem dela se alimenta, que dirá a mim, simples mortal. Então, recebo as chuvas fortes ou a seca de tudo, os ventos arrasadores e as tempestades assustadoras. Recebo-as de braços abertos para que me fortaleçam. Lembro que depois delas, das nuvens negras, um belo sol virá e fará surgir em minha face o mais belo sorriso, a mais bela íris.
...Não sabe a bruxa que meus olhos ficam ainda mais azuis quando choro...
Se antes de cada ato nosso, nos puséssemos a prever todas as consequências dele, a pensar nelas a sério,
primeiro as imediatas, depois as prováveis, depois as possíveis,
depois as imagináveis,
não chegaríamos sequer a mover-nos de onde o primeiro pensamento
nos tivesse feito parar.
Saramago, Ensaio sobre a Cegueira

Um comentário:

  1. Buon giorno, princepesssa! Lembrei que aodras este filme, e eu também.Se precisares, estou aqui, a defender-te de todas as intempérires. Inveja delas, que não tem eles olhos da cor do mais límpido mar!
    Fica com meu abraço e meus beijos para te proteger...

    ResponderExcluir