sexta-feira, 12 de junho de 2009

Jardim


Hoje acordei me sentindo mais amada que ontem, mesmo sendo impossível.
Meu corpo vibrando, satisfeito de tanto Amor. Como se tivesse sido amada pela Vida em cada uma de minhas células, em cada um dos meus poros. Como se de cada um brotasse uma flor, linda flor, fresca e perfumada, rosa vermelha macia e sem espinhos.
Nunca gostei de rosas vermelhas porque achava que não me cabiam. Mas hoje, vendo esse Amor da Vida em mim, recebo-as, todas, como que encantada. Sinto-me merecedora, enfim. Fizeram - e fazem - de mim lindo e feminino jardim. Meu corpo as deixa florescer com o forte húmus da Vida. Vêm lindas, fortes, coloridas, veludo carmim. Perfumam meu ser e as mãos que as plantaram, desde sempre. Refrescam meus pensamentos, onde viajo de mãos dadas com quem me aquece. Cheiram Amor, um amor eterno e sublime, que a Vida me ensinou a aceitar e viver eternamente.
Um amor silencioso e dentro de mim.
Um amor que é só dela e de ninguém mais.
Meu jardim, assim completo, só para ela.
O arrepio é quando,
por serem tão leves,
seus dedos conseguem,
em cada um dos meus poros
soerguer uma flor.
Rita Apoena


Nenhum comentário:

Postar um comentário