sábado, 25 de julho de 2009

Paixão

Outro dia falei de como amamos os amores errados.
Hoje falo de paixão, e como ela move o meu mundo. Sempre.
Preciso dela, do acordar ao deitar. Ela é meu combustível, meu incentivo maior. Como um fogo que alimento para que não se acabe. Pode ser no trabalho, na vida pessoal, no amor. Preciso dessa motivação maior. Não que não cumpra com as minhas tarefas diárias sem ela, mas diferencia minhas obrigações de meu fazer com prazer. Dá tempero. Apimenta.
Ele, o prazer, tem que se fazer presente em minhas coisas. Quando ele some, ou perde seu calor, perco o tesão, a vontade fica fraca, deixo de lado as coisas. Por vezes até ignoro, como se não estivessem acontecendo. Triste, mas real.
Vejo as pessoas fazem as coisas de forma automática, feito robôs, e por vezes invejo esse fazer por fazer. Seguem, sistematicamente, a fazer o que tem que ser feito. Do trabalho para casa, da casa para o trabalho, sem parar para pensar. Anestesiadas.
Invejo. Não sei. Nunca soube. Nem sei se um dia saberei. Na verdade, nem pretendo. Deve ser parte dessa menina rebelde que vive em mim. Não me adapto bem a muitas regras, a mesmices. Difícil viver assim, mas vou seguindo meu caminho. Ele que sabe onde vai me levar. Ele que sabe aonde vou parar. Mas, sempre, sempre de mãos dadas com a paixão...


2 comentários:

  1. Dada a intesidade de teus sentimentos e de tuas palavras, não se podia esperar outra coisa dessa menina-mulher. És paixão pura, e isso lareta-me para que veja em mim o memso sentimento. Por hora, só quando passo aqui e sorvo a tua! Beijos, minha linda paixão!

    ResponderExcluir
  2. VOCE É UMA PAIXÃO!

    ResponderExcluir