quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Extremos

Gosto dos venenos os mais lentos!
As bebidas as mais fortes!
Dos cafés mais amargos!
E os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
e daí !!! eu adoro voar!!!
Amo este texto de Clarice Lispector. Tem uma energia própria das palavras bem assumidas, dos riscos expostos. Tem cheiro de vida bem vivida. E me vejo nele, já que não sei ser pequena, não sei ser metade, todos já sabem. Não sei ser morna, não sei ser média, não sei ser certinha, muito menos normal. Não me venha com boazinha, queridinha, lindinha: minha mãe já dizia que diminutivos são pejorativos. Não me venha com frases prontas, pratos feitos. Não me venha com dia a dia, apesar do conforto da rotina. O que me impulsiona é o tempero do inesperado. O quente ou o bem gelado, cada um com sua queimadura, cada um com seu perigo.
Não consigo ficar parada. Não consigo esse "ir levando". Fico no porto, onde recém cheguei, já olhando para o horizonte à procura de um novo partir. Vivo, bem, o que tenho que viver e ponho nele muito de mim. Sou o famoso "oito ou oitenta".
Gulosa!
Mulher de extremos, embora bem calculados, para que não me queime...

2 comentários:

  1. Boma dia! Como é bom começar o dia com um texto, assim, empolgante! Se soubesses a força que tens sobre mim - e tantos outros - que te leem - serias sempre assim, mulher de belos extremos!

    ResponderExcluir
  2. .........Nossaaaaaa....é a primeira vez que visito o seu blog,e olha que foi por acaso ein,mais estou fascinada....
    belissimo cosi
    perfect...........amei
    nao saiu mais daqui.....
    bjssss......

    ResponderExcluir