domingo, 9 de agosto de 2009

Lembranças

Hoje é Dia dos Pais. Longe do meu , distante eu diria , faço aqui uma breve homenagem. Lembrando o lado bom, voltam as longas caminhadas pela praia e o dançar com meus pés sobre seus. O longo esperar de banho tomado para merecer um belo abraço. Ah, e os tantos e tantos cartões apaixonados, mil desenhos em lápis de cor. Meus dias de amar meu homem perfeito.
Ensinou-me paixões, sem saber, como amar a praia em qualquer tempo, o sentir da areia nos pés, o som do vento nos ouvidos, o mantra envolvente do mar. Ensinou-me , sem saber, a amar o que faço, nas tantas e tantas visitas não esperadas em casas em construção. Delas vieram meus primeiros desenhos na tela gigante da praia, minha inspiração pelo bem morar, pelo bem viver, minha bela noção de espaço, minha arquiteta interior. Nem ele sabia que traçava ali uma de minhas maiores paixões.

Dele veio também minha forma de enfrentar a vida. Uma forma dura, quase máscula, de enfrentar as coisas de qualquer forma, gélida e calculista, que perdi , aos poucos, em algum atalho do caminho. Amaciei, penso, com as surras da vida. Melhor assim, estaria eu mais dura do que já sou, mais sóbria, muito menos nena.

Resgatei minha fragilidade, resgatei minha feminilidade, resgatei meu ser. Resgatei minha Jacque, meu segundo nome, dado por ele em homenagem a la Kennedy.

Resgatei minha Dada, como me chamavam ao nascer.

Meu lado menina, minha base mulher.

Um comentário:

  1. Passei semanas sem ler teu blog! E hoje, ao sobrar-me, ops! não sobrar-me, ao permitir-me 10 minutos de lazer, entre,li e amei.... Parabéns. Ma

    ResponderExcluir