segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Limpeza


Hoje é segunda, dia de aprumar-se. No final de semana escutei de um amigo, senhor de belos olhos e de sábias palavras: "estou faxinando gavetas, jogando fantasmas fora". Dizem que faz bem, e disso já falei aqui. É como faxinar a nós mesmos. Jogar fora as travas e limitações, limpar o mofo das ideias estagnadas, arejar as boas e abrir espaço para as novas. Ando precisando...
Amei a ideia dos fantasmas. Amei odiando. Assombrações em nossa vida. Longe de filmes e ficções, quantos habitam em nós, fazem de nossa cabeça, casa, quando não de nossa alma. Tantos, que poderiam nos amedrontar, se é que não o fazem. Ficam à espreita, esperando o momento menos apropriado para assombrar. Acordam-me de sobressalto no meio da noite, histéricos. Ou na hora de alguma decisão importante. Pressentem quando estou vulnerável. Atacam na hora certa. Espertos.
E eu tento ser mais que eles. Não me deixo levar. Domino-os, com menor ou maior trabalho. Trato-os bem, para ver se me esquecem. Levo na lábia, como dizem. Ou dou uma de "mosca morta", esperando a rebeldia passar. Mas isso se deu com o tempo, anos de guerra, lutas infindáveis, até eu mudar a estratégia. E deu trabalho!
Hoje estão comigo, meus fantasmas das coisas mal resolvidas. Meus companheiros de viagem. Uno-me à eles, quando não posso atacá -los. Jogo conversa fiada, levo na boa - ou tento - levo na brincadeira. Quem sabe cansam de mim, dessa chata mesmice e assombram outro lugar...

2 comentários:

  1. Bom dia, luz do dia!
    Bom te ver assim, guerreira, linda guerreira! Os fantasmas te rondam, sim, mas deve ser por paixão! Ou por tesão! beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  2. ADMITO QUE ELE TEM RAZÃO: TE PERSEGUEM PORQUE NAO SABEM VIVER LONGE! BJS

    ResponderExcluir