terça-feira, 18 de agosto de 2009

Recomeçar


Fiquei lendo e relendo este texto de Fernando Pessoa , feito mantra:

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas
Que já tem a forma de nosso corpo
Esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares
É o tempo de travessia
E se não ousarmos fazê-la
Teremos ficado para sempre
À margem de nós mesmos..."

Tempo de sair da concha, deixar o casulo, tempo de tentar. Rasgar envólucros. Quebrar redomas que montaram em minha volta. Estou precisando disso dentro de mim. Um libertar-me do de sempre. Um limpar de teias que me prendem. Falta coragem, falta ousadia, falta. Por vezes, sinto-me engessada, por outras, rebelde, mas nada que me impulsione a sair de vez do lugar.
E sei que posso, sei que tenho essa força dentro de mim. Está escondida sob a pele, em algum lugar. Talvez me impeça o morno cotidiano, ou falte tempo no rápido passar das horas. Mas, sinto, nas veias, que é tempo de mudar!
Soltar minha guerreira, montar estratégias,
galgar espaço, ganhar batalha por batalha. Lutar! vencer!
Acorda, Alice, que tua hora já chegou!
Acorda, mulher que teu caminho está ai. Acorda, menina, e agarra tua vida pela crina.
Teu dia está ai, teu novo recomeçar!

Um comentário:

  1. Não duvides nunca que és uma linda borboleta que nos encanta com tua beleza e teus gestos a cada dia!

    ResponderExcluir