sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Silencio

Fazer a diferença. Parece uma frase - e um sugestão - batida, mas tem seus méritos. Gosto de saber que faço diferença na vida das pessoas, seja quem e como for. Um só sorriso, um elogio não esperado, um agradecimento. Basta um olhar, muitas vezes. Uma única mensagem e o dia fica mais feliz. Um olhar mais acolhedor e a conversa muda.
Acho que vem acompanhada da ideia, quase fixa, de fazer o meu melhor. Nem sempre sei, nem sempre consigo, nem sempre agrado. Muito menos me agrado. Tento. Por isso tantas culpas. Ou porque não agradei, ou porque - pasmem! - agradei demais.
Soa falso algumas vezes,
mas a minha intenção é sempre boa, acreditem!
Falo isso porque recebi uma mensagem de alguém que magoei. E foi tão carinhosa comigo que me desconsertou. Devolveu de forma positiva tudo o que de ruim eu achava ter dado. Parei para pensar se havia mesmo magoado, mesmo em forma de silêncio - sempre a minha "pior" arma. Faço do silêncio minha arma branca, sem sabê-la tão pesada. Sempre usei, desde pequena. E sei de sua força, mas ainda assim acho a minha melhor forma de agir.
Já dizia a música que " o mal é o que sai da boca do homem". Acredito. Basta uma palavra errada, ou dita de forma imprecisa, pode mudar tudo. Incrível seu poder. Por isso me calo, faço do silêncio meu maior aliado. Há quem não goste dessa minha arma, há quem odeie até,
quem se magoe.
Mas, acredite. E pense nisso.
Pode ser uma bela forma de acalmar a mente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário