terça-feira, 8 de setembro de 2009

Igual

Conversando com minha mãe tempos atrás, e descobrindo fatos que a levaram a dar uma reviravolta na vida aos 75 anos de idade, lembrei a música cantada por Elis : somos como nossos pais. Mudou o século, tudo mudou, somos duas pessoas diferentes e , incrível - e triste - saber, escutamos os mesmos discursos vindo de quem já se disse apaixonado. Descobrimos, enfim, quem somos, ou quem não somos, da boca do outro. Se acatamos ou não, só o tempo dirá.
Não há fuga, penso. A tristeza sempre se mostra com a mesma face...

Nenhum comentário:

Postar um comentário