quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Saudade


Recebi uma mensagem que falava sobre esta palavra mágica, indiscritível e tão brasileira :
"A Saudade é uma prova, um certificado, carimbado e assinado embaixo de que não estamos inteiramente sós e nem vazios". Veio junto esta imagem que me lembrou as brincadeiras infantis de bem me quer, mal me quer. Quantas flores despetaladas para saber se alguém nos amava ou não. Bom se fosse assim tão fácil.
Mas saindo do limbo triste de não sabê-lo, penso que cada pessoa tem, sim, um lugar especial em nosso caminho. Conhecer alguém tem, sempre, algum significado, mesmo que não o reconheçamos no ato. Não é à toa que entram em nosso caminho, forrando-o de flores ou de espinhos. Estão lá para nos ensinar algo. Nossos amigos, nosso irmãos, nosso filhos, nosso amores estão lá a nos dizer que "não estamos sós e nem vazios". Cada um preenchendo algo, cada um com sua lição, cada um em seu momento, cada um participando de uma cena, de um ato, muitas vezes da peça por inteiro, coadjuvantes deste teatro que é a nossa vida.
Por isso, vivo-os intensamente já que não sei por quanto tempo deles desfrutarei a companhia. Não sei por quantos atos serão meus companheiros de cena, nem se essa cena será por eles lembrada.
Por isso dou a eles o meu melhor.
Quem sabe assim mereço aplausos no final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário