sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Sobre ontem


Ontem recebi várias manifestações contra a minha "tristeza" estampada no blog. Fiquei feliz, já que tenho amigos, mesmo anônimos. E triste por entristecê-los.
Escrevi coisas que estavam dentro do meu coração, ferindo a alma. Se presas, machucam. Se soltas, abrem gaiolas e voam. Assim sou eu, feito Marilyn, tenho lá meus defeitos, tantos. Assumo, todos. Já diz o ditado que não se agrada todos. Aceito e acato. Mas lembro que escrever é minha cura. Tiro das palavras meu sol e meu sustento. Tiro de mim as nuvens negras e as transformo em nuvens de chuva, regando meu solo fértil. Nele, muitas flores, cores variadas, belos perfumes a serem colhidos e entregues a quem merecer.
Entrego-as, hoje, a quem se importou.
Assim sou eu, guerreira e mulher. Eu sou meu sol! Eu me sei!
E por isso sigo, feliz! E cheia de amigos, mesmo sem saber...

Um comentário: