segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Diferente

"Quando perdemos o direito de sermos diferentes, perdemos o privilégio de sermos livres". Recebi essa frase sem dono. E nela tanta coisa. E muito de mim.
Não me encaixo nas ditas regras sociais. Não sou uma dona de casa exemplar, nem mãe dedicada. Nem trabalhadora assídua, nem exímia estudante, muito menos amante à disposição. mergulho no que me interessa, ou no nada. Sou além disso - e acima de tudo - eu mesma. Mulher.
Sigo a vida que me vem a cada dia que amanhece. Não tenho estratégias além das sonhadas. Nem textos pré escritos. Grandes sonhos, só o de ser feliz. Mudo sempre de ideia e de opinião, se me convenço do contrário. Um ser em constante mutação. Se não bipolar, camaleoa. Umas vezes para ser vista , outras tantas para me esconder entre tantas. Esgueiro-me pelo caminho, sigo em frente, esqueço o ontem facilmente. Meu jeito de ser. Minha pele. Meu rumo.
Meu traçado em busca de algo, sigo.
Simples assim. E sendo feliz - sempre que dá...

Nenhum comentário:

Postar um comentário