terça-feira, 27 de outubro de 2009

Escolhas

Desde que acordamos até o fechar dos olhos para dormir, fazemos escolhas. A cada segundo, uma escolha. Boa ou ruim. Chamam de livre arbítrio.
Tenho outra visão, já que, pelo jeito, faço mais escolhas ruins do que boas. Penso certo, sei o que é melhor para mim, mas não o faço. Penso em ler mais e ficar menos no computador, ou brincar mais com filho ao invés de escrever tanto e minutos depois faço bem o contrário. Penso em comer menos e segundos depois enfio qualquer coisa inteira na boca, faminta. Aceito que tenho que dormir mais cedo e me deixo levar até altas horas enrolando por ai. Sei o que é certo, faço o errado.
Será mesmo livre arbítrio? Será mesmo que somos livres para fazer as escolhas? Ou prisioneiros de nós mesmos? Tento soltar as amarras da mesmice, do conforto, do ir levando a vida, coisas que me pesam. Difícil. Mudar é difícil. Fazer as melhores escolhas, escolher a carta certa, pelo que vejo, também.

Um comentário:

  1. Adorei o que escrevestes! Nunca tinha pensado, mas é vero!. Beijos, MA

    ResponderExcluir