domingo, 18 de outubro de 2009

Jogo

"E aprendemos e aprendemos...E em cada dia aprendemos".
Assim termina o poema de Jorge Luis Borges.
E assim começa meu texto.
A todo momento, a cada piscar de olhos, a cada partícula de ar que nos entra, aprendemos. Tudo nos serve de lição. Do gozo ao choro. Nesse mundo de apredizagens, nada se perde, tudo se transforma. Tudo serve de combustível, de matéria prima, de alimento. De nossas alegrias às nossas tristezas. Tudo são descobertas ou redescobertas. Nossos 'bem quereres' e nossos 'mal quereres'. Nosso arrancar de pétalas. Brinco de arrancá-las.
Quem sabe descubro que a Vida me ama?

Nenhum comentário:

Postar um comentário