quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Mergulho


Ainda sobre ler, acredito que os textos nos venham não por acaso,mas porque o atraímos - como , dizem, fazemos com as pessoas. No meio de um texto imenso sobre comunicação, li a seguinte frase: " percebemos a realidade não enquanto tal, mas sim enquanto a imaginamos", de Antonio Holhfeldt.
Definiu-me.
Vivo meu mundo de forma tão imaginativa que custo a lembrar do que realmente fiz ou falei no mundo dito real. Minha cabeça é uma constante fábrica de ideias, que só para - quando para - enquanto leio algo que me puxa, ou me interesso por um filme. Como num mergulho. Como se o ar da vida me faltasse e eu respirasse de outra forma. Impregno-me de coisas noivas, de novas ideias que ficam ali, latentes, até que se possa voltar à tona e pô-las para fora. Minha meditação. Meu encanto. Saber é meu pão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário