domingo, 18 de outubro de 2009

Nova


Ontem andei de bicicleta depois anos sem fazê-lo. Engraçado, a máxima confere: uma vez aprendido, jamais se esquece. Que bom se fosse tudo assim na vida. Nunca fui muito esperta para isso, sempre pedalei meio tropeça, se é que se pode dizer isso. Meio sem rumo, sem estratégia, sem firmeza - bem diferente de como ando com o carro.

Mas a sensação foi ótima. Um reviver, um renascer, uma volta no tempo. Gargalhamos muito, divertimo-nos feito criança, passando em poças e sujando a calça. Sentir o vento na cara, esse sim, sem explicação de quanto me faz feliz. Voltei cansada, suada, quebrada, mas de alma lavada. E , por fim, descubro o como mantia a forma na juventude. Frequencímetro em punho, descobri que pedalar e correr tem a mesma função de me arrasar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário