domingo, 11 de outubro de 2009

Weiberfastnacht

Essa deve ser a melhor parte de gostar de ler: sabe-se de tudo! Sou uma curiosa de ideias, de pensamentos, de modo de vida. E enquanto a vida me priva de viajar, sigo sabendo do mundo o que me cabe. E aprendendo - e me divertindo - muito com ela.
Li sobre a Weiberfastnacht, por exemplo, o “carnaval” da cidade alemã de Colônia. Até isso tem seu lado de aprendizagem. Além da boa comida e chope da melhor qualidade, primam pelo capricho em lugares públicos, bares e restaurantes,
por se tratar de uma festa de rua.
A tradicional festa possui ainda uma peculiaridade: no primeiro dia da festa, quem manda são as mulheres. Trata-se da Quinta-feira das Mulheres (dai o nome Weiberfastnacht), quando elas 'tomam a chave da prefeitura e saem pelas ruas cortando gravatas dos homens, numa alusão à castração masculina em detrimento de sua imagem'. Esta tradição remonta à primeira metade do século 19, quando um grupo de mulheres da região resolveu divertir-se da mesma forma como faziam seus maridos, que as deixavam em casa, fazendo o trabalho duro, enquanto eles se embebedavam e riam à toa pela cidade. Acho que já vi isso em algum lugar...
Cortar gravatas, um ato simbólico. Deveríamos fazê-lo, sempre. Não dessa forma pitoresca, mas sendo nós mesmas, enxergando-nos como pessoas, como mulheres, e não só como mães dedicadas, fiéis esposas, respeitáveis profissionais.
Quem sabe assim sobra um tempo para um chopinho
com as amigas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário