segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Lúcios


Este final de semana tive o prazer de assistir a peça Lúcio 30-80, com o comediante Lúcio Mauro (ai, que saudades da Ofélia!) e seus filhos. Levei meu filho, 14 anos, para conhecer um dos maiores personagens da TV brasileira. Não errei: ele amou.
Nela muito de emoção e de riso. Encantei-me pelo olhar profundo daquele homem que já nos fez rir tanto, o lúcido Lúcio, com seus intensos 80 anos. No contraste entre a comédia jovem do filho e a comédia discreta dele, muita história para contar. Neles se confunde a própria história desse país de comediantes natos, grandes mestres do picadeiro.
Mas fiquei mesmo extasiada com o Monólogo das Mãos, onde o Grande Lúcio descreve, com toda a sua intensidade, a serventia delas, para o bem e para o mal. " A mão que afaga é a mesma que joga pedras". Vi nisso uma verdade de doer. Carinhar e bater. Apertar de mãos ou jogar de granadas. Salvar e matar. Nelas, nas palavras bem ditas, meu encanto.
E hoje, Lúcio, uso das minhas para te agradecer ao belíssimo momento.
Marco de vida, que não morre jamais.

Um comentário:

  1. Grande Lúcio...
    Tanto na comédia como no drama, dá um banho de interpretação.
    Não é à toa que o filho dele tá sendo um sucesso.
    Bom prá nós não??
    Meg

    ResponderExcluir