terça-feira, 3 de novembro de 2009

Mania


Meu filho, hoje com 14 anos, tem um jeito bem próprio de ser. Não sei de onde, talvez de mim, quando ainda não tinha me curvado frente à vida. Tem ares leves, frente a seu tempo e à sua idade. Se isso é bom ou ruim, só o tempo dirá.
Uma característica é certa: não para de falar. O cantarolar.
Chamo de mantras. Ele pega uma idéia ou um som - da hora ou inventado - canta/fala incessantemente. Dizem que os mantras tem energia própria. As palavras também.
Reconheço nele essa forma de se expressar. E reconheço nela sua grandeza. Bem melhor assim, penso, do que se eu tivesse outras preocupações como horas exageradas frente ao micro ou jogando vídeogames. Pena não combinarem, muitas vezes , com meu amor pelo silêncio. Talvez da próxima vez eu entre em alfa e o deixe também viajar. Cada um com sua mania.
E com seu entendimento, dele e do outro.
Amém.

Um comentário:

  1. Quem o conhece sabe do que estás falando...
    Ele é encantador. Tem seu estilo próprio, verdadeiro...
    Meg

    ResponderExcluir