quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Certa


Natal chegando. Poderia me firmar nas impressões de uma vida toda e dizer que é uma data chata. Ou melhor: triste. Mas não. Depois que tive meu filho, e nisso já se vão 15 anos, fiz dessa data um espaço para se aprender mais sobre respeito.

Nunca tive nessa data - e nem em outro qualquer - nada muito familiar. Talvez nos divertíamos graças ao leve embebedar. Como essa não é mais a minha praia, como não uso mais a bebida como conforto e sim como degustação, então achei melhor ver outro significado. Admiro as grandes famílias que trazem ao natal seu real significado. União, repensar, encontro. Não um simples comer e beber sem parar. A bebida amortece e nem sempre é o melhor caminho.

Respeito. Ensinei isso para meu filho hoje em nossa caminhada. Gostando ou não, tenhamos respeito pelo que nos recebem. Ou pelos que recebemos. Pelos mais velhos, que já tem sua vida pautada em hábitos já calcificados. Pelos mais novos por se tratar de uma reunião social. Não custa nada. Quem sabe disso venham as reconciliações, sempre tão difíceis. Quem sabe venha dessa reunião uma melhor compreensão. Abstraio de mim as coisas ruins e deixo vir a tona meu melhor sorriso, o melhor de mim. Ele quebra gelos. Ou pelo menos me defende de todo mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário