quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Madura


Se eu tenho medo de envelhecer?


Não...


Lembro sempre dos bons vinhos, ali, bem conservados em barris de puro carvalho ou em alguma adega de nível, ao alcance de poucos que apreciam a boa cura, a longa espera do melhor gole de sua vida. Uma bebiba encorpada, madura, de sabor misterioso, para ser degustada e não simplesmente engolida... (risos).
Aliás, devíamos ser assim com tudo na vida. Um sorver sem pressa. Um vivenciar , não só viver, não só o rápido passar de horas, de um dia para outro, de um ano para outro. Vivenciar com gosto e cheiro. Sentir na pele cada momento. Sentir o que a Vida tem de melhor para nos dar.
Nossa, fazer aniversário me fez poeta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário