quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Meu Natal


Pitangas colhidas em plena calçada, alegres revoadas de bandos de coloridos periquitos no parque: assim começou meu Natal. Meu Natal é feito de meu sorriso, mesmo que interno. Meu Natal é feito de meu silêncio interno,onde hoje habito. É feito dos sorrisos meus arrancados pelos recados de tantos e tantos amigos. Uns me chamam de presente, outros de alegria.
Sigo feliz.
Não quero me deixar contaminar pela correria histérica da data. Um corre-corre que me parece desnecessário. Um nervosismo descabido, um forçar de emoções. Não se vê sorrisos, a não ser depois dos primeiros goles. Não se vê nada do proposto - amizade, confraternização, amor - a não ser os de encomenda. Ou se vê, mas não se sente.
Sinto-me em um espírito natalino próprio. Quieta, querendo me rever. Silenciosa para receber o que a Vida tem de melhor para me dar. Essa Vida que amo, mesmo sem saber o quanto, mesmo sem entender o tudo. Essa Vida que mora dentro de mim e faz meu ser melhor. Eu sou o seu sentido, ela o meu viver. Meu passado, presente e futuro, juntos.
Minha Vida é meu renascer. Meu real Natal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário