segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Rotina

Hábitos. Nunca fui muito firme neles. Vejo pessoas fazendo exatamente as mesmas coisas por anos a fio. A mesma hora de acordar, o mesmo alimento pela manhã, o mesmo jeito de pensar. Os mesmos horários para cada coisa. Tudo igual, do levantar ao deitar, dia após dia. Por evzes me fazem lembrar dos personagens de Garcia Marquez e seus intermináveis dias...
Eu não: a cada dia vejo como único, cada assunto como novo, não sei pré-determinar as coisas. Numa conversa posso mudar de opinião. Na alimentação, experimentar coisas novas. Mudar o caminho de chegar. Escolher a hora de ir dormir. O que me cansa não é a correria do dia-a-dia, mas sim a monotonia de fazê-la. Não sei ser movida a cronômetros...
Por isso, sempre que posso, fujo dela, da rotina que me sufoca. Como se calasse minha voz. Como se tirasse de mim a minha bagagem de vida, meu livre arbítrio. Meu bem viver. Meu alimento. É dificil sair da roda viva. Mas tento. Quebro meu simples seguir. Vivo. Ou tento viver. Um dia de cada vez. Um hoje diferente do ontem. E a cada dia mais.

Talvez seja uma fuga do tempo. Talvez eu queira enganá-lo. Talvez me esqueça e deixe eu fazer meu próprio passar. Deve ser essa minha alma de criança...

Nenhum comentário:

Postar um comentário