domingo, 24 de janeiro de 2010

Pensando


Pensando na vida, nessa manhã fria e chuvosa - quando insistem em dizer que é verão - fiz uma imagem de mim mesma. Ou de todos.
Quando pequena, adorava soltar gravetinhos ou folhas nas corredeiras de pós-chuva que se formavam nas ruas. E os seguia até ver onde davam. Imaginava-me, ali dentro, minúsculo ser, à deriva , ao "Deus dará" (bela frase...Ele sempre dá!).
Assim senti minha vida hoje pela manhã, tomada de tanta chuva que cai desde sempre. Sigo pela vida ao sabor da correnteza. Às vezes sigo livre pelo rio. Algumas vezes rapidamente, outras de forma mais mansa. Pego correntezas fortes, passagens divertidas ou assustadoras. Outras fico à margem, em algum espaço onde a força da água não me leva, nem me tira do lugar. Bolsões de nada. Ou de tudo. Mas ali também tem vida, penso eu agora. Talvez uma parada para respirar, repensar, reviver as coisas, antes que a correnteza me carregue para outra rápida descida. Talvez essa parada demore mais do que se queira. Talvez em algum momento eu precise dela e ela não me resgate a tempo. Talvez ela me salve de algum afogamento, posso pensar. De uma descida louca logo ali na frente. Uma cachoeira. Uma queda enorme, como as raras que já passei. Talvez me salve de mais um susto. E me fortaleça. Um tempo de me alimentar.
Um tempo de me viver.
A vida segue, meu rio também. Hoje parado, amanhã , quem sabe, corredeira. Mas uma coisa é certa: todos os caminhos do rio levam para o mar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário