segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Saida


Amanhã entro em "férias" novamente. Estarei silenciosa por uns dias - pelo menos por aqui. Um sonho antigo de apresentar Buenos Aires - um mundo latino em meio a delícias européias - para o meu filho. O que parecia comum na minha juventude, parece uma pobreza hoje em dia: ele não conhece nada fora do Brasil. Quase "inconcebível" num mundo desse que dá às crianças oportunidades que muitos de nós ainda não tivemos...
Relembro minha vida. Ainda mais minha infância. Melhor parte da carne era do pai. A melhor sala, das visitas. Bicicletas, livros e roupas passavam de um para o outro (pobre da minha, com dez demãos de tinta). Eu, a menor da tropa de cinco, acho que só comprei roupa quando já adolescente, e mesmo assim dividida com minhas irmãs. E olha que nem posso me queixar de pobreza, porque não éramos.
Hoje meu filho, um adolescente, tem de um tudo. "Fala" 3 línguas. Estuda num ótimo colégio. Tem um quarto entulhado de desejos atendidos e rapidamente esquecidos. E nem assim chega perto de seus colegas. Esses ganham presentes caros como se fossem lembrancinhas. E roupas que eu mesma nunca terei. Vão ao exterior como nós vamos à cidade do lado, passear. Eu não tenho do que reclamar, fiz ele diferente, participativo. Sabe cozinhar, passa sua própria roupa quando necessário. Sabe se portar, sabe conversar, tem interesse real por vários assuntos.
Amanhã ele, enfim, conhece um outro país. Escuta uma outra língua, que desconhece. Paga em outra moeda, que nunca viu. Amanhã ele conhece um novo mundo. Amanhã ele cresce, penso eu. Vê que o mundo é bem maior que seu próprio umbigo...

2 comentários:

  1. boa viagem ... bs.as. é muito tudo ... se der, vai no cemitério da recolleta, é poesia pura !!! bom passar umas fronteiras, as mais custosas táo em nós ...bjs

    ResponderExcluir