quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Faltas


Dizem os cientistas que só , humanos, utilizamos, 10% de nossa capacidade.
Fiquei pensando: capacidade de que? De pensar? De raciocínio? 10% de que, meu Deus?
E vou mais longe: tenho certeza que nós mulheres usamos bem menos. Usamos nada de nossa enorme capacidade de persuasão, fadada a nosso diária labuta frente à vida. Quase nada de nossa estratégia de guerreiras, ficando, na maioria das vezes, paralizadas nas trincheiras, esperando o ataque. Pouco de nossa força de fêmea, deixando , na grande maioria das vezes, o primeiro passo com ele, o grande macho. Afinal, foi assim que nos ensinaram.
E usamos, pouco, muito pouco, de nossa enorme capacidade de amar. Em tempos modernos, tal mixaria concentra-se em um ou dois filhos, um companheiro - nem sempre receptivo ou reativo - um pai, uma mãe, talvez um ou outro irmão que nos é caro (está certo, irmão não se escolhe...). Talvez um cachorro (que horror! diriam os que não os têm). Muito de amores impostos ou que nos vêm, pouco de conquistados. E tentamos, pelo menos tentamos, suprir dessa falta em armários abarrotados de roupas e prateleiras entupidas de botas, em gulosas colheradas de sorvete e intermináveis barras de chocolate, em lágrimas de filmes da sessão da tarde. Neles - roupas, botas, sorvetes, chocolates e lágrimas - nossos 7% de procura de algo - ou algos - que nos falta.
Que refaçam as contas os cientistas. Temos, ainda, muita capacidade a revelar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário