quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Lembrete

Recebo, todos os dias, muits mensagena pela Internet. Umas boas, outras passáveis, muitas péssimas. Umas até me fazem rir, um mal necessário, diria. Outras me comovem a ponto de guardá-las em uma das tantas pastas de meu já abarrotado micro. Deveria chamá-la de "Lições". Ou seria melhor "Lembretes", já que "sei" de tudo, apesar de esquecer ou deixar de lado.
A que me tocou, pasmem, é de uma bebida mal falada pelas mães mais cautelosas. O que não faz a menor diferença em eu achar que tem gosto de detergente. Mas não nego: têm sempre uma bela campanha. Talvez pelo mal que sabem fazer. Talvez para fazer de nós, mães, sua aliada. Ou pelo menos não tão do contra (é , está certo, tem um plus agora, diz-se vitaminada ...).
Pois bem, esqueço de quem é e me detenho na beleza da mensagem. Mostra um senhor com seus 102 anos saindo para uma viagem ao encontro de seu bisneto ou tataraneto, suponho, que vai nascer. Fala no forte espanhol, uma bela e real mensagem de incentivo e de conselhos ao recém chegado. Vai proclamando no caminho sua lição, feito leitura de carta deixada. Que o pequeno não se prenda aos medos dos outros, que não se atenha aos que dizem que nasce numa má hora, num mundo ruim. Mas que se atenha ao único lado ruim da vida:
que ela passa demasiadamente rápido.
É, constanto, a vida passa demasiadamente rápido. Eu, no meio dela - sendo bem otimista rsss - tenho ainda tantos planos, tantos sonhos. Tanta esperança guardada. Tantos anseios pela Vida, essa ainda presa ao seu passado. Tantas ideias na gaveta. Tantos, tantas, muitos. Quem me dera pode-los viver um dia...Quem me dera chegar aos meus 100 e poucos anos com tamanha lucidez...Quem me dera saber viver...

Um comentário:

  1. Lembras da Carolina? A da música? O tempo ainda está passando pela sua janela...Agarra-te nele. A tua sede de viver é maior que tudo!!!
    BJs,
    Meg

    ResponderExcluir