terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Doce


Ontem brinquei com meus amigos mandando uma mensagem que dizia que a felicidade pode estar em um pote de sorvete. Muitos acharam graça, outros prontamente concordaram. Dá para se pensar que de brincadeiras assim podem sair grandes verdades.

A minha paixão por sorvete é sabida pelos que são mais atentos. Trocaria qualquer refeição do dia por minha porção diária de felicidade. No belo conjunto de doce e gelado, que sorve fácil e se dissolve na boca, muitas respostas. Quase uma meditação.

Brincadeiras a parte, acho, mesmo, que algumas respostas da vida - pelo menos para mim - vem de forma inusitada. De rompante - ou estariam sendo ruminadas sem que se perceba? - dúvidas que parecem verdadeira charadas, ruelas encurraladoras que dão em muros, desfazem-se em segundos feito a bocada do sorvete. Por vezes, acho até graça.

Enfim, dá para se pensar. Seria um sorvete apenas um desvio? Já cansei de ver que uma reposta só vem quando você está desatento - pelo menos em relação a ela. Como um olhar de fora, despreocupado. Como um olhar amigo, interessado. Um ajudar doce e confortável, mesmo que nem sempre gelado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário