terça-feira, 30 de março de 2010

Melhor de mim


Andei falhando em minhas postagens. Ou por falta de suporte - e aí, nada pior do que querer e não poder - ou por falta do que dizer. Melhor: de como dizer.
Vivenciei coisas muito diferentes nessa última semana. Meu Outono. Minha troca de folhas. Muita informação em mim. Um abrir de portas lacradas pelo tempo. Um tirar de mofo de meus sentimentos mais profundos. Mexeu com minhas vontades e com meus medos. Isso me aquietou.
Ou deixei de lado meu replicante pensar e resolvi viver? Quanto mais se pensa, menos se pensa...
Viajar me faz isso. Como se tivesse que abrir espaço em mim para vivenciar o desconhecido. Espaço para o novo no velho encralacado. Mas essa viagem pareceu ao centro de meu mundo. Ao meu mais íntimo ser. Um limpar do baú de mim. Resgatar meus melhores sentimentos. Esquecer os que não me servem. Reaprender que tudo pode ser assimilado, compreendido e aplicado. Reaprender os reais valores que tenho e que a vida tem a me oferecer. E aceitá-los de bom grado e peito aberto. Reviver a pessoa que sou, sem as amarras do simples passar pelos dias, sem deixar reabrir em mim as feridas do passado. Aceitar as coisas que me vem, fazer por merecê-las. Merecer. Ver o que sou como um presente por estar presente. Ser meu presente.
Voltei como que em carne viva. Extremamente sensível, fortemente palpitante. Como se tivesse viajado em mim. Como se reconhecesse em mim cada pedaço. Como se recuperasse meus elos perdidos e fizesse dele uma corrente inabalável. Como se tivesse, enfim, achado em alguma gaveta travada pelo tempo a pessoa que realmente sou.
Abro a gaveta e gosto do que vejo. Tem um cheiro diferente ali. Mistura de ingenuidade e matureza. De simplicidade, alegria e interesse pelo que me vem. Uma mulher sincera e honesta. Uma menina-mulher capaz de amar seu mundo, de se amar. De se entregar de coração aberto para o novo. Ou ao renovado. Capaz de se perceber. Capaz de ser seu todo. Toda eu.
Então me vem a frase do agora:
" O melhor que eu posso ser é ser eu mesmo, seja lá o que isso for"
Bob Dylan

Nenhum comentário:

Postar um comentário